Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Um Evangelho Para Todos

Existe um motivo pelo qual Jesus veio a terra. PESSOAS. Eu me preocupo com o caminho pelo qual os cristãos caminham. Existe uma cultura centenária impregnada em nós dessa geração. Se partirmos do principio de que Jesus veio de forma contundente por gente, que cristianismo temos gerado a partir disso?

Você já se perguntou se sua igreja sair da sua rua, do seu bairro, da sua região o que os vizinhos diriam? Sentiria falta, ou levantariam as mãos aos céus dando “graças a Deus”? Que relevância temos como igreja, como cristãos pro nosso meio? Não sabemos o nome dos vizinhos que dividem muro com nossas comunidades, não conhecemos suas histórias, e de certa forma nem estamos tão preocupados assim com eles, afinal eles nem fazem parte da nossa comunidade, não é mesmo? Mas já imaginou se nós agíssemos diferente, mapeando de forma muito próxima suas necessidades, seus problemas emocionais, sociais e intervíssemos de maneira humana para com eles? Ia ser fantástico!

O mandamento de Jesus é amar o próximo como a nós mesmos, e isso implica em ama-lo na sua humanidade, saber das suas dores, medos, questões e não só me relacionar com o outro no âmbito da espiritualidade. Nós precisamos humanizar mais os nossos relacionamentos. Amar está no auxiliar, orar, acolher ouvir, enfim. Já observou que todas as questões eclesiásticas estão voltadas para crentes? Já se perguntou como alguém não cristão se sente dentro de nossa comunidade de fé? Ele se sente o pior dos pecadores, o pior dos humanos, porque está diante de “crentes” tão espirituais, tão cheios da “glória de Deus” que se sentem o pior dos piores, ou ele encontra outras pessoas iguais a ele, pecadores sim, mas humanos, que entenderam que em Jesus podem ter suas vidas mudadas e que caminham para esse Jesus buscando serem melhores? É ridículo acreditar que esse comportamento é real, mas lamentavelmente é real. Os cristãos conseguiram tanto saírem da esfera social que parece que criaram um dialeto próprio. Não se cumprimentam como os demais, o homem é chamado de “vaso” para saber se alguém está bem, pergunta se este está no “manto ou no óleo” que comunicação se gera com outros humanos? NENHUMA. Nossas dinâmicas estão voltadas que super. Crentes, super. santos, e não para humanos pecadores que desejam encontrar-se com Deus. Essa cultura comportamental precisa ser revista, por nós na individualidade.

Não podemos estar trabalhando sempre no ambiente espiritual, a tricotomia humana nos reforça isso. CORPO, ALMA E ESPIRITO. Tudo precisa ser bem dimensionado. E quando me refiro ao humano, antes que os extremistas se manifestem não me refiro a corromper valores e princípios, mas digo de aprendermos a nos relacionar com o outro no “corpo”. Saber que se têm necessidades espirituais, salvação e etc. Mas, também se tem fome e sede, se tem frio e desemprego, ou eu assumo um papel de me torna uma igreja relevante, ou ficarei transferido um papel que também é meu para o governo, e isso só mostra que realmente sou medíocre.

Eu confesso que sou meio preocupado com a galera que trabalha como libertação, não sou contra, sou preocupado. Essa turma sabe nome de todos os demônios existentes (já vi nomes de demônios que eu não fazia ideia que existiam), sei da relevância de seus trabalhos e eu ministérios, não é isso que coloco em cheque. Mas já que mapeiam tanto, porque não fazem um senso no bairro, um mapeamento das famílias desempregadas do bairro que precisam de intervenção social, auxilio, comida!? São só perguntas que eu me faço….

Chegou a hora da igreja, os cristãos pararem com julgamentos, com apontamentos, com brigas ideológicas e começarem a partirem a praticar a essência do evangelho.

Dentro de uma comunidade, começamos os apontamentos e julgamentos a cerca da frieza do irmão, da diminuição de assiduidade, e a partir daí digo: “tá vendo, eu sabia, não quer mesmo, porque quem quer faz, vai atrás”. Nós só sabemos o quanto é significativo alguém lhe prestar atenção, quando sou eu quem precisa. Pelo amor de Jesus, mudemos essa cultura a partir de mim a partir de você nobre leitor.

Que Deus tenha misericórdia de nós,

Voltemos ao evangelho de gente pra gente, de homem pra homem.. ambos necessitando da graça e favor do Pai.

Grande abraço.

Fabricio Tarles.

Entre e receba as notícias do dia

Entre e receba as notícias do dia

VEJA MAIS +

DESCULPE,

MAS ESSE LOTE ESTÁ ESGOTADO!